28 janeiro 2013

Oração por Santa Maria/RS.


"Quem é essa mulher, que canta sempre o mesmo arranjo, só queria agasalhar meu anjo e deixar seu corpo descansar." (Chico Buarque)


Deus, Deusa, conhecido ou desconhecido, traz paz para essas mães, pais, irmãos, avós, filhos, tios, primos, namorados, amigos, aqueles que amam e perderam seus amores.
Manda um vento suave de consolo, passa sua mão divina nos cabelos deles, enxuga as lágrimas com as pontas dos dedos, mas muito, muito delicadamente, por que qualquer toque, qualquer palavra, qualquer pensamento deve estar doendo, doendo desesperadamente.
Envia um prato de sopa quentinha, uma caneca de vinho também quente, cubra seus corpos, dos vivos, com cobertores macios que esquentem o frio completamente absurdo que devem estar sentindo.
Conforta, alivia, nem que seja com álcool, remédios, soníferos, derrama sobre cada um deles um sono profundo, mas que seja leve, que não pese. E que, nesse sono, lhes venham os mortos visitá-los e consolá-los com momentos felizes juntos, que é apenas isso que lhes resta para diminuir um pouco a saudade e o sofrimento.
Não deixe que ninguém, mas ninguém mesmo, principalmente essa mídia e repórteres insensíveis e embrutecidos, lhes magoe mais do que já estão sofrendo, que lhes tirem as migalhas de esperança e de fé que ainda consigam resistir, se manter vivas dentro de cada um deles.
Mantenha, Deus, Deusa, qualquer coisa que lhes sirva de amparo, de âncora, de fresta, de luz, de luz, de calor, de calor. Afasta a escuridão e o frio, por que não existem escuridão nem frio maiores que lidar com a morte de quem se ama.
Não importa que não acreditem, faz pelos descrentes o mesmo que fariam por seus crentes, pois na dor somos todos tão iguais, tão frágeis, tão terrivelmente desamparados, e é justamente essa dor que arrasa com qualquer fé. Abençoados aqueles que ainda conseguem manter fé e esperança no meio de um sofrimento tão devastador.
Faça com que compreendam, mas muito mansamente, sem mais dor nem horror, que os atos divinos são randômicos, e que o que estão passando não é fruto de culpas, nem de pecados, nem de descaso, nem de nada que eles próprios, familiares e amigos, possam ter feito em qualquer lugar ou tempo.
Que essas pessoas tão sofridas, esses nossos irmãos humanos consigam consolo e tranquilidade, Deus, mesmo que somente crendo no deus que se chame Acaso, ou na deusa que se denomine Aleatória.


Nenhum comentário:

Postar um comentário